“O presidente Valdet?rio Andrade Monteiro salientou que oficiar? deputados estaduais, federais e senadores para que promovam um debate com o prop?sito de evitar a abertura de capital da CEF para o setor privado…”

? por essas e outras que a OAB deixou de desfrutar do grande prest?gio?social de outrora. “Debate com prop?sito de evitar a abertura de capital da CEF para o setor privado”, n?o ? debate, ? tomada de posi??o!

Um debate pressup?e dial?tica em torno de um tema e n?o uma tomada de posi??o pr?via alinhada com diretrizes ideol?gicas sem fundamentos racionais expl?citos.

Embora tenha c? minhas convic??es sobre a conveni?ncia de se privatizar toda e qualquer estatal, n?o digo que a entidade deveria desde j? ser a favor (nem contra).?Mas que a posi??o institucional deveria ser pelo verdadeiro debate, colocando em discuss?o os benef?cios e os malef?cios que, por ventura, eventual abertura de capital acarretaria.

Ali?s, a OAB faria melhor se, antes mesmo de sair se posicionando contra ou promovendo debates de fachada, fizesse um trabalho de esclarecimento do que se trata realmente a opera??o de abertura e suas implica??es administrativas, ?mercadol?gicas e at? sociol?gicas.

Mas, infelizmente, ao que parece, o detalhamento e o aclaramento do assunto ? o que menos importa ? dire??o da entidade.

Por fim, n?o que n?o saiba, mas para que se proceda, mesmo que em menor?alcance, um verdadeiro debate sobre a quest?o, deixo aos ilustres colegas da diretoria da OAB/Ce as seguintes perguntas:

1. O que ? uma abertura de capital?

2. Quais?as desvantagem de uma abertura dessa natureza para uma empresa como a Caixa?

3. Quais as vantagens?

4. Qual o fundamento dessa tomada de posi??o pr?via?

Se tiverem respeito pela classe e pela sociedade, tentar?o responder a tais quest?es antes de promoverem campanhas tendenciosas.